quarta-feira, 26 de maio de 2010

Godofredo Viana: Mineradora comete Crime Ambiental no Norte Maranhense


Empresa Aurizona Mineração destroí campos, manguezais e desmata áreas para exploração de ouro na APA (Área de Proteção Ambiental) das Reentrâncias Maranhenses.

                                               
              
Imagem 01: Localização do Município de Godofredo Viana (MA)
A descoberta de ouro no município remonta aos padres jesuítas que usavam índios e escravos para retirar o metal dos aluviões. Godofredo Viana abrigaria a terceira maior mina de ouro do Brasil.

A Mineradora Aurizona informa ter  investido cerca de R$ 30 milhões no local. E que o empreendimento deve gerar 1.200 empregos diretos e indiretos. O valor do empreendimento chega a casa dos R$ 80 milhões. A Mineração Aurizona tem como sócios a Luna Gold Corp, por meio da Aurizona Goldfields Corporation, e a Brascan Recursos Naturais, subsidiária da Brascan Brasil. Há mais de 30 anos ocorrem pesquisas na área sobre minerais. Durante décadas pequenos garimpeiros  trabalharam  nas áreas da mineração nesta região. Alguns anos atrás houve uma corrida pela aquisição das áreas que eram de trabalhadores rurais e pequenos garimpeiro por parte da empresa de mineração.



Imagem 02: Placa informativa ( 19 Km à Cidade de Godofredo Viana)


Buscamos informações na cidade de Godofredo Viana do tão propagado " desenvolvimento"  e dos "empregos gerados" com a implantação da mineração no município.


Imagem 03: placa indicativa da mineração Aurizona

Conversamos com algumas lideranças sindicais, vereadores, professores, moradores das comunidades próximas ao emprendimento e todos foram taxativos ao afirmar que não houveram audiências públicas, nem disponibilização de estudos e/ou relatórios,  nem qualquer outra forma de informação à população sobre o  empreendimento.


Imagem 04: Prédio do STTR de Godofredo Viana

A migração de pessoas dos municípios vizinhos em busca de trabalho com o inicio das obras na mineração, trouxe especulação imobiliária com aumento do valor dos imóveis, dos  terrenos e do aluguel ( em média 700,00),  levando também a um aumento do custo de vida. Visto com preocupação  por várias lideranças no município.


                               
Imagem 05: Professores fazem manifestação por melhores condições de trabalho no município


Aurizona- " O Eldorado não é aqui!!!" 

Alguns afirmam que o nome relaciona-se com um inglês que viveu na região. Com cerca de 1.700 moradores e mais de 70 anos de existência. Distânciando cerca de 16 KM da sede do município de Godofredo Viana.

Imagem 06: Vila Aurizona

"A expectativa da comunidade de Aurizona com a chegada da nova empresa de mineração foi a de desenvolvimento, melhoria na estrutura da comunidade e muitos empregos. Em reuniões puxadas pela Associação local e com a participação de alguns funcionários da mineradora era de promessas e de ganhos para a comunidade" conta uma liderança local. Hoje a grande descontentamento da maioria dos moradores de Aurizona. Alguns poucos empregos (geralmente para fazer a segurança  por algum período e limpeza da área de mineração), sem água potável e falta de infra estrutura na comunidade selam a realidade cotidiana dos moradores que viram sua comunidade ser dilacerada pelo empreendimento  e suas falsas promessas.


Imagem 07: Posto Médico encontra-se fechado e quando funciona apenas "curativos"
       


Imagem 08: Poeira toma conta das ruas de Aurizona ( sem pavimento, drenagem e/ou esgoto)


Imagem 09: Instalações da mineradora na comunidade de Aurizona

Lideranças locais ainda relatam sobre problemas de saúde que começaram a aparecer, entre eles alguns casos de doenças nos rins de pessoas que trabalham diretamente na mineração, aumento da prostituição e inúmeros acidentes rodoviários pelo grande  fluxo de veículos pesados nas estradas que ligam à mineração a sede do município.  Outra reclamação é a proibição de acesso à algumas áreas de trabalho e/ou pesca dos moradores.

Imagem 10: caminhão de empresa que trabalha na mineração



Imagem 11: área da Aurizona-Entrada proibida
 
Imagem 12: maquinário da mineradora


A empresa de mineração já vem adquirindo terras desde a década de 80 e atualmente adquiriram novas áreas. Segundo informações coletadas de moradores locais a empresa usa de vários artifícios para pressionar os proprietários e/ou posseiros para a venda das áreas, inclusive, expulsão de alguns sem nenhum pagamento pela terra.

    
Outras Comunidades
Além de Aurizona outras comunidades são diretamente impactadas pela mineradora  Aurizona, entre elas : Barão de Pirucaua, São José de Pirucaua, Jenipapo, Aurizona e Bacuri.

Imagem 13: crianças brincam em área que sera feito campo de futebol  na comunidade de Barão( uma das obras da mineradora)

Conflito com a Comunidade do Barão: A derrubada de uma dezena de bacabeiras na área da comunidade  sem autorização  revoltou um grupo de moradores que fecharam a estrada, foi chamada a policia militar e também houve a intervenção de seguranças particulares da empresa  para reprimir o movimento.

A comunidade vive nas cercanias de uma área de campo que  foi reivindicada através da associação junto a câmara de vereadores para uso e preservação da área. Foi criada e aprovada uma lei que torna a área dos campos e manguezais de “ Patrimônio Público” . No último ano o município fez modificações na lei passando a responsabilidade de uso para o executivo o que facilitou a entrada da mineradora na área da comunidade de Barão.


Crime Ambiental:

Uma estrada vicinal de cerca de 10 km que corta o campo e os manguezais foi reforçada e melhorada para passagem de veículos e caminhões pesados a área de mineração, mas foram retirados os pequenos bueiros que ligavam as “águas” dos manguezais e dos campos cortados pela estrada ocasionando a morte da vegetação, tanto dos manguezais, quanto do junco(gramínea típica), condenando boa parte da área e toda sua biodiversidade de plantas e animais. vejam as imagens abaixo:


Imagem 14: vegetação de manguezais desmatada à margem da estrada da mineradora Aurizona


Imagem 15: àrea de manguezal foi aterrada pela Aurizona Mineração


Imagem 16: Vegetação do campo inundável morta pela estrada da mineradora  que retirou os bueiros que faziam o fluxo de renovação das águas


Imagem 17: Crime ambiental destroí campo inundável das Reentâncias Maranhenses


Imagem 18: máquinas da mineração Aurizona

Imagem 19: Vista de aterramento no campo á margem da estrada


Imagem 20: Aterramento área de campo à margem da estrada


Imagem 21: Outra margem do campo que tem acesso à água (verde e aves na paisagem )



Área de Mineração

O local de exploração chama-se "Serra de Pirucaua" com cerca de 120 m de altura, esta região chama-se de "ilha de Pirucaua" por está entre vários rios e campos alagados ecossistemas que compreendem a APA Reentrâncias Maranhenses e de sítios Ramsar.



Imagem 22: área da serra desmatada para exploração minerária


                                  Imagem 23: área da serra desmatada para exploração minerária


Imagem 24: " Lixão" da Aurizona à margens da estrada


Imagem 25: Vista da área desmatada para mineração



Imagem 26: grande quantidade de madeira cortada á margem da estrada


Imagem 27: madeira ao logo da estrada


Imagem 28: Búfalos soltos ao longo da estrada ( Godofredo Viana/MA)


Imagem 29: bem vindo  a Godofredo Viana


Últimos acontecimentos( denuncia)


O Conselho Estadual de Segurança Alimentar-CONSEA recebeu na sua última reunião  denuncias de rompimento dos depósitos de material de mineração no povoado Aurizona.



APA das Reentrâncias Maranhenses  e Sítios Ramsar importância e reconhecimento Internacional na preservação ambiental e na qualidade de vida dos povos.


A APA das Reentrâncias Maranhenses pode ser descrita como uma grande área, aproximadamente 254 Km de extensão, de costa baixa como uma série de ilhas, baías, enseadas e um complexo estuarino, interligado por canais chamados de "furos", os quais são recortados ainda mais por inúmeros igarapés, cobertos por manguezais, que hospedam várias espécies de peixes, crustáceos e moluscos como também aves, especialmente as migratórias, que buscam descanso, alimentação e local para reprodução. Também é local importante para a reprodução do Guará (Eudocimus ruber), ameaçado de extinção.
A vegetação do sítio contribui para o aumento da produtividade da produção de pesca, importante fonte de alimentação e trabalho para a população que vive na costa e nas margens dos rios. Seu valor panorâmico também deve ser considerado já que abrange uma série de ecossistemas com praias e dunas de beleza natural singular.
Convenção de Ramsar, um tratado firmado por governos de diversos países que estabelece uma ação nacional e uma cooperação internacional para a conservação e uso racional das zonas úmidas mundiais e de seus recursos naturais. O título de Sítio Ramsar reconhece a Reentrâncias Maranhanses como de relevância mundial da biodiversidade . Importante também  na manutenção das áreas úmidas como uma das formas de contenção dos impactos das mudanças climáticas.


Diante do que foi relatado e visto os crimes ocasionados ao meio ambiente e as populações locais as quais são e foram negadas informações e "tolhido" o seu direito de opinar num empreendimento que modifica vidas e desagrega comunidades. Aguardamos que as autoridades possam tomar providências cabíveis e que possam ainda monitorar e/ou embargar esta obra que passa à margem do controle da sociedade e dos poderes constituidos.


Texto e Fotos: Edmilson Pinheiro (Fórum Carajás)
http://reentrancias-ma.blogspot.com/

11 comentários:

  1. GOSTARIA DE COLOCAR AQ MINHAS CONDOLENCIAS AO POVO DE GODOFREDO VIANA E AURIZONA CADE O MINISTRO EDSON LOBAO

    LULA FICA DE OLHO OS CARAS ESTAO TIRANDO NOSSO OURO EDILSON SAO PAULO

    ResponderExcluir
  2. Atuo como Técnico Segurança Trabalho (fiscalização) em mineradoras(Projetos :Mineração São Bento,Anglo Gold,Ferrous Mineração,VALE,sempre na Fiscalização de terceirizadas,a mais de 10 anos,busco oportunidade para laborar,com disponibilidade imediata.
    (31) 9932-7007

    Mohamed A.

    ResponderExcluir
  3. valeu a voce por terem denuciado essa mineraçao aorizona, ela deveria promover melhor qualidade vida a populaçao da vila aurizona pelo contrario estar tentando e bota todo mundo para correr.chegou com promesas de mundos e fundos, sem fala nós preçoes "pagos" verdadeira esmolas aos moradores por suas terras vindas a mais de 1 seculo,digo porque minha bisavó viveu la junto com sua vó,essas terras sao muito antigas , continuem invertigando e denuciando as atrocidade desa mineradora, voces vao ver tem muito caroço nesse mingal.

    ResponderExcluir
  4. Olá! Gostaria de agradecer á vc que denunciou a mineradora, pois sou da Comunidade de São José e fico mt triste em saber que estão destruindo a floresta.
    Em julho, fui passar as férias e vi a destruição da natureza. O povo de lá não sabe o que fazer, pois a mineradora tem seguranças armados e a população vive reprimida sem poder fazer nada...
    Eu que agentes ambientalistas podem dar uma olhar para esse locar e tomar alguma atitude relacionado á isso.

    ResponderExcluir
  5. olar!parabens por denuciar pois sou da comunidade so que nao estou morando la mais esto revoltada por nao poder fazer nada autoridade do municipio prefeita foi comprada por esta firma nossos representante estadual nao faz nada pelo povo da comunidade.

    ResponderExcluir
  6. Olá,sou de Carutapera -MA que fica bem próximo a Godofredo.E quero agradecer a Reentrâncias
    por denunciar a total falta de amor ao próximo e posteriormente ao meio ambiente.A falta de consciênitização é tamanha.Se a autoridade maior da própria cidade foi corrompida.Temos que pelo menos fazer nossa parte e denunciar tamanho descaso.

    ResponderExcluir
  7. Cara eu moro em aurizona e quero dizer que eles tão acabando com os mangues jogando dejetos no mar, logo logo toda essa região estará totalmente contaminada, e toda a população dessa localidade vai sofrer os efeitos desse bando. eles vão acabar com nosso município e depois que sugarem tudo vão deixar o povo na miséria.

    ResponderExcluir
  8. Senhores entendo a preocupação de vocês, mas qual a solução para o problema? Fechar a empresa? Acho q a empresa deveria investir melhor os recursos na sociedade e na preservação do meio ambiente. A empresa é importante para vocês. A mineração quando feita de acordo com as normas ambientais é de grande utilidade para a humanidade. Nao criem uma imagem ruim da mineração.
    Estou indo a Godofredo Viana conhecer a cidade e a mineradora. Vou fazer o meu julgamento depois. Quem sabe posso ajudar de alguma forma.

    ResponderExcluir
  9. Caros,

    Sou Engenheiro Florestal, já pude visitar vários tipos de empreendimentos e que eu posso dizer é que nesses grandes empreendimentos nada pode ser feito sem as devidas licenças ambientais, emitidas pelos órgão responsáveis SEMA/IBAMA e nesse caso de mineração também entra o DNPM. A empresa precisa estar de acordo com todos esses órgãos e respeitando a legislação vigente. Para liberação dessas licenças todos os aspectos socioeconômicos e ambientais do local são levados em consideração. Ao receber a licença de operação, a empresa se compromete à sanar qualquer tipo de dano ao meio ambiente, a sociedade, que por ventura ocorra na área do empreendimento e nos arredores da mesma, além disso, esse tipo de empreendimento precisa apresentar ao órgão licenciador documentos que mostram como são realizados todos os processos da empresa, como serão destinados os resíduos sólidos (lixo), resíduos de substâncias derivadas de petróleo, etc. Em se tratando de mineradora, a empresa precisa apresentar também ao órgão licenciador o PLANO DE FECHAMENTO DE MINA, neste consta o PRAD da área(Plano de recuperação de área degradada), contemplando todas as áreas alteradas/degradadas pela empresa, caso contrário a mesma não recebe a licença de operação. Finalizando, a legislação brasileira trata a atividade de mineração como uma atividade de utilidade pública, pois querendo ou não, ela acaba trazendo vários benefícios para a sociedade, acelerando a economia, gerando emprego, melhorando condições de vida das comunidades locais, etc. Já pude visitar a Vila Aurizona e vi que por exemplo o ambulatório da empresa também atende a comunidade da vila, isso já é uma melhoria para a mesma.
    Lembrem-se, os recursos naturais estão ai para serem utilizados, só precisamos fazer com responsabilidade social e ambiental, sempre tendo em vista a sustentabilidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir